sábado, 14 de fevereiro de 2015

14.2.15 - Glacier 3000

Postal ilustrado: uma vila acolhedora, com chalés, lojinhas caricatas, gente simpática e um comboio que irrompe, devagar, montanha acima. Assim é Villars, uma das localidades que acolhe a estância e que escolhemos para o "ataque" ao Glacier 3000.
Infelizmente o Glacier 3000, devido ao intenso nevoeiro e à neve, estava encerrado. Assim, Eu, o Pi e o Luca - um amigo italiano - para esta estância com mais de 100 km de domínio, estabelecemos como estratégia passar no máximo de pistas possíveis, ligando as três aldeias: Villars, Gryon e Les Diablerés.
Com o sol a espreita por entre as nuvens e com uma neve fofa, esquiamos por pistas excelentes, desenhadas ao longo das várias montanhas e vales que compõem o domínio. Andamos por pistas largas e estreitas, mais ou menos inclinadas.
Em Villars, desci  grande velocidade pela pista de slalon que estava montada para um campeonato.
DeVillars para Les Diablerés, cruza-se um enorme vale num teleski para, depois, pistas deliciosas pelas suas curvas e inclinações nos levarem até à aldeia.
O acesso a Gryon foi por um fora de pista manhoso, onde perdi um bastão e que obrigou a uma caminhada que não estava nos planos.
Pela estância vi muitos cegos a esquiarem, acompanhados por um guia. Ouviam a voz de comando e lá seguiam, montanha abaixo, a uma velocidade média e sem incomodarem ninguém. Notei que tinham prática e, sobretudo, atitude.




A descida final, até ao carro, foi a acompanhar a linha de caminha de ferro, cruzando-a em túneis e pontes, relaxando e apreciando a paisagem.

Sem comentários:

Publicar um comentário