quarta-feira, 29 de julho de 2015

29.7.15 - Porto | Zurich

Dormir pouco, trabalhar muito: deixar tudo pronto na Loba para que 25 dias de ausência do país não se façam sentir.
Fazer a mala, empurrar a roupa lá para dentro. Deixei as barbatanas mas coloquei t-shirts suficientes para tanto tempo. Metade da viagem é com inverno rigoroso. Outra metade é verão tropical.
As máquinas da Liquid Image e os acessórios da Hama, estão nas Monte Campo. Tudo condicionado. Tudo compartimentado.
O Domingos levou-me ao aeroporto e a Agência Paraíso, como sempre, fez um trabalho fantástico. Passados poucos minutos estava no avião, sem antes ter comprado um livro de Tolstoi - Morte de Ivan Ilitch, queria o último de Le Carré mas não tinham - e uma Moleskine verde que irá ser o caderno da viagem.
O voo da TAP para Zurich correu normalmente. Como companheiros de fila tive um casal com muita pinta, simpatiquissimo: ela loura de olhos azuis, suíça; ele açoreano, das Flores, filho de uma angola e com uma grande cabeleira à reggea artist.
Neste momento o Aussie Connection está reunida em St. Gallen: churrasco, Super Bock e Gazela.
A minha mala tem que ser reduzida e vou ter que lavar a roupa a meio da viagem, tenho que comprar uns batons para o trekking e esqueci-me do pijama - sim Mãe! um drama que tenho desde meados dos anos 90, com pijamas comprados em tudo quanto é sítio.
Começou a grande aventura: Austrália aqui vamos nós!

Sem comentários:

Publicar um comentário