domingo, 28 de junho de 2015

27.6.15 - Ilhas Cíes

Como todos sabem, encarei o ano de 2015 como um ano de aventura: a estreia em competição motociclista, a snowtrip pela Suiça, Áustria e Espanha, a viagem de moto que me levou de Hamburgo  Helsingborg ou a viagem de carro desde Memmingen a Budapeste, passando por Lubdjana, Bratislava, Viena, Salzburgo e Munique; ou  viagem que aí vem, até Singapura e Austrália.
Quando a viagem à Austrália ficou definitivamente agendada, Cairns era ponto de passagem obrigatório e, por isso, tinha que ter prática de mergulho.
Imagens de Jacques Cousteau e Emile Gagnan ou Bill Murray e Seu Jorge, caricaturando a vida do francês,  vieram-me desde logo à cabeça. Ou James Bond, de fato seco, para poder mergulhar de smoking; ou, muito melhor, Halle Berry, Jessica Alba, Ursula Andress ou Carole Bouquet. 
Assim, sob o comando do Mestre Roças e do resto da malta do CCD Porto, andei a exercitar-me pela piscina da Senhora da Hora até que, finalmente, fui para o mar.
O local para o primeiro mergulho foram as Ilhas Cies, uma reserva em frente a Vigo, conhecido como as Caraíbas.
A uma hora e pouco do Porto, juntando-lhe 15 minutos de barco, encontrei o paraíso onde me lancei ao mar pela primeira vez, com uma garrafa às costas.    
Depois da tensão inicial e o facto de não conseguir compensar os ouvidos com a velocidade e destreza que eu gostava, abriu-se o paraíso. Que maravilha!
Fiz dois mergulhos com água límpida, translucida, visibilidade total. Vi polvos, chocos, taínhas, estrelas do mar, douradas, peixes pequeninos e outros a rondar os 4 quilos. Que bonito! Tanta vida, tanta cor transmitida pelos peixes, algas e conchas. 
A dada altura ajoelhei-me no fundo do mar a olhar para cima. Sossegado, imobilizado, iluminado pelos raios solares, vi o que pareci ser uma corrida de sargos, tal era a velocidade a que passavam por cima de mim. Parecia que tinha mergulhado num aquário.
De sorriso na cara regressei a Vigo, na popa do barco. Ainda sorrio ao pensar na experiência.
Obrigado Roças, Sandra, Sara,  Paulo, Rui, Martinha, Carlos, Luis por serem  os meus companheiros de mergulho nesta primeira experiência. 
Sandra, sem  ti não havia fotos para o blog;  um obrigado muito especial e espero contar contigo na Berlenga.

Sem comentários:

Publicar um comentário