domingo, 16 de novembro de 2014

16.11.14 – El Gouna | Marsa Alam

Continuamos a viagem rumo a sul, entre a serra e o Mar Vermelho.
Passamos por uma série de vilas onde se respirava miséria. Percebemos que estávamos em África.
Numa dessas vilas, em que se tinha uma espécie de fronteira, devem ter avisado o Presidente da Câmara de lá do sítio que íamos atravessar a vila. Tivemos que parar em frente ao edifício onde ele trabalhava para bebermos água e ouvir um discurso em árabe. Simpático de sua parte, penso que estaria a felicitar-nos e a desejar boa viagem.
No meio do deserto, igualmente decrépitos, dois quarteis militares. Carros enferrujados, prédios quase em ruínas e, num deles, um Hummer que fazia lembrar outras guerras.
A estrada era estreita e estava em mau estado. Fiz muitos quilómetros de pé, em cima da scooter, para proteger as costas das pancadas dos pequenos saltos. Diverti-me mas fiquei com os pulsos com o dobro do tamanho.
Mais uma vez a etapa terminou cedo e fui recuperar os pulsos no Mar Vermelho, caminhando mar dentro muitas centenas de metros até uma barreira de coral. Aí a água era agitada a profundidade passava de 80 cm para 20 metros. O Drew – um médico americano – e outros com licença de mergulho, avançaram num barco. Eu voltei a terra seca para a companhia do Lobo Antunes.

Sem comentários:

Publicar um comentário